Satélite Wise vê cometa e nascimento de estrelas

Missão do satélite é fazer um mapa de todo o céu, na frequência de radiação infravermeha

estadao.com.br,

17 Fevereiro 2010 | 16h10

A agência espacial americana publicou nesta quarta-feira, 17, quatro novas imagens processadas dentre as milhares já enviadas para a Terra pelo satélite Explorador de Pesquisa Infravermelha em Campo Amplo, ou "Wise", na sigla em inglês. O satélite está operando desde 14 de janeiro, com a missão de elaborar um mapa completo do céu na faixa de radiação infravermelha.

 

Sonda da Nasa detecta presença de asteroide próximo à Terra

 

As fotos divulgadas nesta quarta trazem um cometa, uma nuvem onde ocorre intensa formação de novas estrelas, a galáxia de Andrômeda e um aglomerado distante de centenas de galáxias.

 

O cometa C/2007 Q3, também conhecido como Siding Spring, descoberto em 2007. Nasa

 

Uma das imagens traz o cometa Siding Spring. Durante sua missão, o Wise deverá descobrir dezenas de cometas, incluindo alguns que se aproximam da órbita da Terra.

 

Outra foto revela uma região onde há nascimento de estrelas, chamada  NGC 3603, a 20 mil anos-luz, no chamado braço Carina da nossa galáxia, a Via-Láctea. Centenas de regiões semelhantes devem ser avistadas pelo telescópio espacial.

 

O nascimento de estrelas aquece o gás ao redor, que brilha, gerando a imagem acima. Nasa

A terceira imagem é da galáxia de Andrômeda. Esta é a galáxia mais próxima da Via-Láctea e fica a cerca de 2,5 milhões de anos-luz.

 

Andrômeda, a galáxia mais próxima da Via-Láctea, foi fotografada pelo Wise. Nasa

 

A quarta foto vai ainda mais longe, revelando uma região onde centenas de galáxias aglomeram-se no chamado aglomerado de Fornax, a 60 milhões de anos-luz.

 

O aglomerado de Fornax, uma reunião de centenas de galáxias distantes. Nasa

A missão Wise deve fotografar todo o céu uma vez e meia até outubro, quando o material refrigerante necessário para manter o satélite na temperatura adequada de funcionamento terá se esgotado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.