Satélites da Nasa registram mergulho de cometa no Sol

Este cometa aparentemente sobreviveu ao calor da corona e desapareceu, evaporando a mais de 100.000º C

estadao.com.br

25 Maio 2010 | 15h45

Imagens feitas pelos satélites Stereo mostram o rastro do cometa. Divulgação

 

Usando instrumentos a bordo da dupla de satélites Stereo, quatro astrônomos da Universidade da Califórnia em Berkeley conseguiram acompanhar a trajetória de um cometa em rota de colisão com o Sol e estimar o local e horário do impacto. Os satélites Stereo orbitam o Sol, produzindo, em conjunto, uma visão em 3D da estrela.

 

"Acreditamos que esta é a primeira vez que um cometa é rastreado em 3D no espaço tão baixo na corona do Sol", disse, em nota, Claire Raferty, estudante de pós-doutorado. Cometas que passam rente ao Sol, compostos de gelo, poeira e rocha, raramente são rastreados até tão perto, porque seu brilho é ofuscado pelo da estrela. Este cometa aparentemente sobreviveu ao calor da corona e desapareceu na cromosfera, evaporando a mais de 100.000º C.

 

Claire e colegas supõem que o cometa era parte da família Kreutz, um enxame deslocado por Júpiter em 2004. O enxame provavelmente é resultado da desintegração de um cometa maior. O trabalho com essas conclusões foi apresentado na reunião da Sociedade Astronômica dos EUA, em Miami.

Mais conteúdo sobre:
cometanasastereoastronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.