Saúde defenderá junto ao STF pesquisas com embriões

O ministro da Saúde, Humberto Costa, disse que haveria um retrocesso caso o Supremo Tribunal Federal (STF) determine a proibição das pesquisas com células-tronco embrionárias."Acho que o Supremo não vai concordar com isso", afirmou Costa. Sua equipe começou a reunir dados técnicos sobre o assunto, que poderiam ser usados pela Advocacia-Geral da União na defesa da lei.Na segunda-feira, o procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, ingressou com uma ação direta de inconstitucionalidade contra o artigo da Lei de Biossegurança que permite a pesquisa com células-tronco de embriões congelados há mais de três anos em clínicas de fertilização.Na ação, Fonteles, um católico fervoroso, afirmou que "embrião humano é vida".O ministro afirmou respeitar a posição, mas acrescentou: "Considero que esta visão não corresponde às necessidades que o Brasil tem hoje. As pesquisas são uma grande porta que se abre para o futuro no tratamento de doenças incuráveis."   leia mais sobre células-tronco

Agencia Estado,

01 de junho de 2005 | 15h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.