Secretaria lança inventário de área reflorestada

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente desconhece a situação das áreas de vegetação nativa do Estado. O último levantamento foi feito há nove anos e um novo estudo só deve começar em alguns meses. Ontem, Dia Mundial do Meio Ambiente, a secretaria lançou o Inventário Florestal das Áreas Reflorestadas do Estado de São Paulo, que considera apenas as regiões com Eucalyptus e Pinus, normalmente usadas para exploração comercial. Os pontos cobertos pelas duas espécies correspondem a apenas 3,1% do território do Estado. De acordo com o secretário José Goldemberg, a falta de uma análise detalhada da situação das matas nativas deve-se à complexidade da pesquisa. Desenvolvido pelo Instituto Florestal, em parceria com a Sociedade Brasileira de Silvicultura, empresas do setor florestal e com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o inventário mostra que o volume de áreas reflorestadas diminuiu. Na última versão, publicada em 1993, havia 804.598 hectares. Hoje, existem 770.010, uma queda de 4,3%. Goldemberg reconhece que o número de hectares é pequeno."O levantamento faz parte da política de encorajar o reflorestamento e de utilizar as unidades de conservação para atividades produtivas."

Agencia Estado,

06 de junho de 2002 | 10h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.