Secretário-geral da Rio+20 elogia papel do Brasil nas negociações

Sha Zukang afirmou que as metas do milênio expiram em 2015 e que se faz necessário estabelecer novos objetivos antes disso

Sabrina Valle, da Agência Estado,

19 Junho 2012 | 01h39

RIO - O secretário-geral da Rio+20 e subsecretário-geral da ONU, Sha Zukang, elogiou o papel do Brasil na condução das negociações e afirmou, na noite desta segunda-feira, 18, ter certeza de que a conferência do clima terá êxito no lançamento de "um processo para a elaboração das metas do desenvolvimento sustentável".

 

Sha, no entanto, evitou fazer previsões sobre quando poderiam ser estabelecidos prazos e metas para diminuição das emissões de gases poluentes, lembrando da complexidade do tema e dos diferentes interesses envolvidos. O representante da ONU lembrou apenas que as metas do milênio expiram em 2015, sendo necessário estabelecer novos objetivos antes disso. "Cada país tem suas prioridades. Para se chegar a um acordo com tantos países, em assuntos tão complexos, pode-se imaginar a dificuldade. Mas, devo dizer, que com a eficiente liderança do Brasil, vamos certamente ter sucesso. Não tenho dúvidas disso", disse.

 

Sha afirmou ter recebido durante a noite uma ligação do ministro de Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, a quem chamou de amigo. Segundo ele, Patriota o atualizou sobre o andar das negociações e pediu ajuda para costurar um acordo. O representante da ONU comentou sobre o telefonema num evento da petroleira chinesa Sinopec, com a presença de cerca de 100 chineses. Em discurso, disse que ali estava por suas ligações com a China e com os representantes da petroleira, mas pontuou que seu coração havia ficado no Riocentro, a torcida por um acordo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.