Sem água, índios deixam floresta pela 1.ª vez

Dezessete pessoas do grupo indígena paraguaio Ayoreo, um dos últimos originários da Amazônia que ainda vivem sem contato com não-índios, procuraram ajuda de sertanistas depois de enfrentar vários dias sem água. A informação foi divulgada nesta quarta-feira pela organização britânica Survival International, que dá apoio a grupos nativos em risco em vários países.O contato dos Ayoreo ocorreu no último dia 4 (foto) e, segundo o relato, os cinco homens, sete mulheres e cinco crianças do grupo apresentavam sinais de desidratação.Eles vivem numa pequena área de florestas ao norte da região paraguaia conhecida como Chaco e têm enfrentado muitos problemas com o avanço das fazendas de pecuária. Os fazendeiros, conforme a Survival, têm reduzido as matas e se apossado das fontes de água onde os Ayoreo costumavam se abastecer nas estações secas.A organização denuncia que o governo do Paraguai vem permitindo a ocupação de grandes parcelas da área indígena, deixando de cumprir leis nacionais e internacionais que determinam a demarcação de 550 mil hectares para os Ayoreo."Não toquem na floresta"Os indígenas fizeram contato com um grupo de sertanistas voluntários que trabalham justamente pela demarcação das terras. Eles pediram acesso às fontes de água tomadas pelas fazendas e o fim da ocupação da floresta. O grupo de voluntários emitiu uma nota contendo uma mensagem dos Ayoreo: "Por favor, não toquem na floresta, porque ela nos dá vida. Por favor, parem os fazendeiros".A luta dos grupos de apoio aos Ayoreo já dura dez anos. Stephen Corry, diretor da Survival, disse que a falta de acesso à água mostra que "é mais imperativo do que nunca" que o governo paraguaio proteja devidamente o território indígena. "Agora é uma questão de sobrevivência deste grupo, que é extremamente vulnerável a doenças externas a seu ambiente."Os Ayoreo são um subgrupo dos Totobiegosode e eram os últimos originários da Amazônia que, vivendo fora dela, mantinham-se distantes dos brancos. Segundo a Survival, há cerca de 5 mil indivíduos em 18 tribos vivendo na região do Chaco, que vai do noroeste do Paraguai ao sudeste da Bolívia. Pequenos grupos de Totobiegosode que ainda vivem na Amazônia permanecem sem contato.

Agencia Estado,

10 de março de 2004 | 12h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.