MARCOS DE PAULA/AE
MARCOS DE PAULA/AE

Sérgio Cabral e Eduardo Paes não participam de parada gay no Rio

16ª edição da Parada do Orgulho LGBT, que reuniu 1,5 milhão de pessoas, ficou vazia de autoridades

Kelly Lima, O Estado de S. Paulo

09 Outubro 2011 | 16h55

RIO - Com expectativa de reunir 1,5 milhão de pessoas na praia de Copacabana para defender os direitos dos homossexuais, a 16ª edição da Parada do Orgulho LGBT, ficou vazia de autoridades neste domingo, 9, no Rio. Nem o governador Sérgio Cabral, nem o prefeito Eduardo Paes, apareceram no local. O dia nublado e as poucas drag queens fantasiadas contribuíram para esfriar o clima de festa que reuniu desde meio dia - com previsão para terminar no início da noite - 15 trios elétricos ao longo de toda orla.

 

A Defensoria Pública, por meio do Núcleo de Defesa da Diversidade Sexual e dos Direitos Homoafetivos (Nudiversis), esteve presente no evento para prestar orientação jurídica e emitir ofícios de gratuidade para união estável homoafetiva, e também para ação de reconhecimento de solução e partilha de bens entre casais do mesmo sexo.

 

"Tivemos a celebração de 45 uniões de casais homossexuais este ano, já conseguimos o reconhecimento judicial na mudança de nomes de transexuais e vamos continuar lutando pelos direitos de gays e lésbicas, principalmente focando agora no combate à violência", disse a Subsecretária Executiva da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos Maria Célia Vasconcelos, principal autoridade no evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.