AFP
AFP

Seu cachorro pode lembrar o que você fez hoje, sugere estudo

Pesquisa publicada na revista Current Biology mostra que cães têm memória episódica, como os humanos e os primatas

O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2016 | 18h20

Os cachorros têm fama de ter pouca memória e se distrair com facilidade, mas um estudo sugere que eles não vivem tão nas nuvens como se pensava.

O melhor amigo do homem parece ter a capacidade de recordar fatos do passado recente, segundo uma pesquisa publicada nesta quarta-feira, 23, na revista Current Biology.

Os cientistas estudaram a memória episódica dos cães, ou seja, a capacidade de voltar atrás mentalmente para evocar detalhes de um evento vivido.

Até então se sabia que esta capacidade existe nos seres humanos e em primatas, mas este é o primeiro estudo que demonstra que os cachorros também têm condições de fazer isso.

"Simplesmente não é possível perguntar a eles: 'se lembra do que aconteceu esta manhã?", destacou a autora principal do trabalho, Claudia Fugazza.

Por isso, foi adaptada uma técnica inédita que permite que os cachorros respondam de alguma maneira em função de como se comportam.

Para o estudo, 17 cães de diferentes raças foram treinados para imitar o comportamento humano: uma pessoa se sentava em uma cadeira ou dava saltos no ar e os cachorros foram treinados para fazer o mesmo quando alguém dizia: "Faz".

Outro grupo de cães, por sua vez, deveria ficar deitado após observar qualquer ação da pessoa.

Os cientistas surpreenderam o grupo de animais deitados com a frase "faz" e os cachorros repetiram a ação que acabaram de ver, ou seja, "recordaram o que tinham visto a pessoa fazer ainda que não tivessem nenhum motivo para pensar que deveriam se lembrar". Com isso "mostraram memória episódica", segundo os especialistas.

Esses animais foram submetidos à prova de repetir o que tinham visto um minuto e uma hora depois, o que demonstra que são capazes de se lembrar destas ações tanto a curto como a longo prazo, ainda que a memória deles se desvaneça ao longo do tempo. 

"Os cachorros treinados com este método podem imitar as ações de seus donos até 24 horas depois", contou Claudia.

Os resultados deste estudo são a primeira prova de memória episódica nos cães, afirma a pesquisa.

Claudia Fugazza, que também treinou golfinhos, orcas e papagaios para reproduzir o comportamento humano, acredita que trabalhos mais aprofundados poderiam demonstrar que este tipo de memória também existe em muitos outros animais./AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

 

Mais conteúdo sobre:
Claudia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.