Shell é multada por poluir água na Vila Carioca

A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) multou a Shell em R$ 105.200,00, por contaminar água de poços da Vila Carioca, na zona sul. A punição foi aplicada no fim da tarde de sexta-feira, depois que saiu o resultado das análises de água, realizadas pela Cetesb em três poços próximos das instalações da Shell do Brasil, onde funciona um depósito de combustíveis. O exame encontrou uma substância denominada dieldrin, utilizada na fabricação de pesticidas, em níveis até dez vezes acima do permitido pela legislação. O resultado das análises comprovou que a contaminação anteriormente constatada ultrapassou os limites do terreno dessa unidade industrial da Shell. A Cetesb considerou a comprovação da poluição das águas subterrâneas fora da empresa como uma falta "gravíssima". Por isso, além da multa, exigiu a apresentação de uma proposta de tratamento dessas águas, um plano de delimitação da contaminação e uma proposta de contenção dos poluentes na área da empresa. Além das penalidades impostas pela Cetesb, a Shell terá de cumprir, em um prazo de 15 dias, a contar da última sexta-feira, um plano de ação estabelecido pela Vigilância Sanitária. Entre outras coisas, a empresa deverá cadastrar a população atingida e constituir uma equipe especial de toxicologia, para determinar os exames de saúde necessários. A Shell, por meio de sua Assessoria de Imprensa, confirmou que já foi notificada da multa, mas disse que ainda não sabe qual atitude será tomada. O departamento jurídico está analisando o caso, para definir se a empresa vai recorrer ou não.

Agencia Estado,

18 de junho de 2002 | 10h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.