Sinal vermelho para projetos com risco ambiental

Os principais projetos em desenvolvimento no Brasil com potencial de riscos ambientais foram reunidos em um banco de informações on-line, lançado hoje, pelas entidades Amigos da Terra - Amazônia Brasileira, Fundação SOS Mata Atlântica, International Rivers Network (IRN) e Núcleo Amigos da Terra Brasil. O site, chamado Sinal Vermelho, tem o objetivo de avaliar e monitorar a sustentabilidade dos possíveis empreendimentos, com informações como histórico e impactos socioambientais, além da relação de instituições financiadoras.O banco de dados traz inicialmente doze projetos, alguns dos quais estão entre as prioridades tanto do Programa Avança Brasil 2000-2003 como devem constar no Plano Plurianual 2004-2007. O lançamento aconteceu durante o workshop em Administração Ambiental para Instituições Financeiras, realizado na Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo, pelo projeto Eco-Finanças, da Amigos da Terra, que reuniu representantes de importantes agentes financiadores como Unibanco, ABN Amro Bank, Itaú e Banco do Brasil. Segundo Roberto Smeraldi, da Amigos da Terra, o site pretende alertar agentes financeiros, investidores, empreendedores, funcionários públicos e a sociedade em geral sobre os riscos envolvidos nesses projetos. ?Esses empreendimentos estão com o sinal vermelho, por terem problemas e precisarem dar uma parada, não necessariamente para sempre. Depois de reavaliados e resolvidas questões que, normalmente, envolvem falhas na comunicação com as comunidades ou nos estudos de impacto ambiental, podem receber sinal verde ou não. A falta de cuidado com estes aspectos é a grande responsável pelas grandes obras do Avança Brasil - como a Hidrelétrica Belo Monte e o Gasoduto Urucu-Porto Velho - estarem parados na Justiça, com todos os prejuízos que isso acarreta?, diz.Além destes, fazem parte da lista a Hidrelétrica Santa Isabel (PA/TO), a Hidrovia Araguaia-Tocantins (GO, MA, MT, PA, TO), Hidrovia Paraguai-Paraná (MS, MT), Marina Água Mansa (RJ), Rodovia BR-163, Cuiabá-Santarém (MT, PA), Transposição do São Francisco (AL, BA, CE, MG, PB, PE, RN, SE), Usina Hidrelétrica de Murta (MG), Usina Nuclear Angra III (RJ), Usina Termelétrica Candiota 3 (RS) e Usina Termelética Carioba 2 (SP). ?Os projetos foram escolhidos por sua distribuição geográfica e por contarmos com informações suficientes, mas a relação vai aumentar?, explica Mário Monzoni, coordenador do Eco-Finanças.

Agencia Estado,

04 de junho de 2003 | 15h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.