Sistema detecta risco de síndrome da classe econômica

Pesquisadores americanos afirmam ter criado um sistema que detecta pessoas com maior risco de desenvolver coágulos. Segundo eles, isso permite a realização de tratamentos preventivos que podem diminuir o número de mortes por trombose e embolia pulmonar.O alarme foi desenvolvido para identificar possíveis vítimas da chamada síndrome da classe econômica - tromboses que já acometeram grande número de passageiros de vôos de avião que tiveram de permanecer muito tempo imóveis em um assento desconfortável.O sistema, desenvolvido por médicos do Hospital Brigham de Boston, em Massachusetts, cria um banco de dados sobre análises e sintomas anteriores. De acordo com a agência Efe, isso facilita a identificação de mais de 2.500 pessoas com risco.Para Samuel Goldhaber, um dos autores do estudo- publicado no The New England Journal of Medicine, o sistema possibilitou o tratamento dos pacientes potenciais e reduziu em 41% o risco de tromboses e embolia pulmonar.Apesar da notícia ser animadora, o Hospital Brigham alertou em comunicado que a eficácia do alarme ainda não foi totalmente confirmada.No documento, explica-se que o número de pacientes envolvidos na pesquisa pode ter sido pequeno para estabelecer uma redução significativa na quantidade de mortes.

Agencia Estado,

10 de março de 2005 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.