Soja atrapalha ação de espermatozóide, diz estudo

Mulheres que estão tentando engravidar devem evitar comer muita soja, indica um estudo britânico apresentado numa conferência sobre fertilidade em Copenhague, na Dinamarca.Ao apresentar os resultados do seu estudo a uma platéia de especialistas, a professora Lynn Fraser, da King´s College, em Londres, disse que o grão contém uma substância chamada genisteína que pode "sabotar" o espermatozóide na sua corrida para fecundar o óvulo.Fraser acredita que mulheres que não consumirem soja no período fértil terão mais chances de engravidar. Segundo a professora, até mesmo doses minúsculas do alimento no organismo feminino podem prejudicar a fecundação.A genisteína está presente em todos os produtos que contêm soja, ingrediente abundante nas dietas vegetarianas.Antes do tempoSegundo a cientista, a substância detona uma reação no espermatozóide, fazendo com que ele amadureça antes do tempo. Dessa forma, quando chega ao óvulo, o esperma que entrou em contado com a genisteína já perdeu a capacidade de fecundá-lo.Ela explica que não faria sentido tirar a soja da dieta masculina porque, quando ainda está no corpo do homem, não há nada a ser fertilizado.Segundo Fraser, o esperma humano se mostrou muito mais sensível à genisteína do que o esperma de ratos.Quantidade de sojaEla disse que é difícil calcular que quantidade de soja seria seguro consumir sem afetar a fertilidade."Não é uma questão de parar completamente de comer produtos contendo soja. Mas pode ser melhor para uma mulher evitá-los por alguns dias enquanto ela estiver ovulando."Trabalhos anteriores de Fraser indicaram que substâncias semelhantes à genisteína - como o lúpulo, encontrado na cerveja - podem prejudicar a fertilidade. Por isso, ela recomenda que mulheres que queiram engravidar também evitem tomar cerveja.Todas essas substâncias enfraquecem o estrógeno, mas Fraser não acredita que o seu efeito no esperma seja o mesmo que acontece no hormônio feminino.

Agencia Estado,

22 de junho de 2005 | 11h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.