Nasa
Nasa

Sonda descobre átomos de hidrogênio ricocheteando da Lua

O vento solar, um fluxo veloz de partículas carregadas emitidas pelo Sol, atinge a Lua continuamente

22 de junho de 2009 | 14h25

A sonda Explorador da Fronteira Interestelar (Ibex, na sigla em inglês) da Nasa fez a primeira observação da existência de átomos de hidrogênio partindo em alta velocidade da Lua, um fenômeno que era alvo de especulações teóricas há décadas.

 

Nasa lança sondas para preparar o retorno do homem à Lua

 

Durante a fase de ajustes dos instrumentos da sonda, a equipe de cientistas responsável pelo equipamento apontou o instrumento IBEX-Hi, projetado para detectar átomos com velocidades de 800 mil a 4 milhões de quilômetros por hora.

 

"Logo depois de ligarmos o IBEX-Hi, a Lua passou pelo campo de visão, e lá estavam eles", disse, em nota, do principal cientista da missão Ibex, David J. McComas.

 

O vento solar, um fluxo veloz de partículas carregadas emitidas pelo Sol, atinge a Lua - que não tem um campo magnético protetor, como a Terra - continuamente.

 

A maioria das partículas que atinge a Lua acaba incrustada na superfície, mas algumas ricocheteiam em várias direções. Esses ricochetes geralmente partem como ato mos neutros, depois de capturar elétrons da Lua.

 

A equipe do Ibex estima que apenas cerca de 10% dos íons que atingem a Lua são refletidos de volta ao espaço como átomos neutros.

 

A missão principal do Ibex é observar e mapear as interações que ocorrem no limiar do sistema Solar, quando o vento do Sol colide com o material interestelar, vindo do restante da galáxia. 

Tudo o que sabemos sobre:
luanasaibexvento solar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.