Sonda detecta hidrocarbonetos na atmosfera de Titã

A sonda espacial Cassini detectou a presença de hidrocarbonetos complexos, elementos básicos na formação da vida, na atmosfera superior da lua Titã, a maior de Saturno. Segundo o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa, há hidrocarbonetos com até sete átomos, muitos contendo nitrogênio.Para os cientistas, foi uma surpresa constatar a presença de moléculas de hidrocarbonetos na atmosfera superior, pois Titã é uma lua muito fria e esses hidrocarbonetos tenderiam a se precipitar como chuva sobre a superfície de Titã.O JPL indicou que a descoberta é uma confirmação de que a camada de gases que envolve Titã pode ser um laboratório ideal para estudar os processos da química orgânica que antecederam a vida na Terra. Esta lua de Saturno é o único satélite natural do Sistema Solar que tem atmosfera."Começamos a apreciar o papel da atmosfera superior no complexo ciclo do carbono que ocorre em Titã", afirmou Hunter Waite, diretor das pesquisas iônicas e de espectrômetro que a sonda realiza. "Em última instância, esta informação nos ajudará a determinar as origens da matéria orgânica dentro de todo o Sistema Solar."De acordo com os estudos feitos sobre a atmosfera de Titã, essa lua é composta principalmente por nitrogênio e metano, que é a forma maissimples dos hidrocarbonetos.A detecção destas moléculas na atmosfera superior foi feita, segundo o JPL, durante a mais recente aproximação da Cassini. No último dia 16 a sonda da Nasa passou a 1.027 km de distância da superfície de Titã.A Cassini teve até agora seis aproximações de Titã, "mas sua prospecção está apenas começando", anunciou o JPL, informando que a sonda voltará em outras 39 ocasiões aos arredores da superfície do satélite.

Agencia Estado,

26 de abril de 2005 | 13h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.