Sonda indiana pousa na Lua e envia primeiras imagens

A Índia lançou a Chandrayaan-1 no dia 22 de outubro, começando a participar da corrida espacial asiática

REUTERS

14 de novembro de 2008 | 16h12

Uma sonda lunar da primeira missão indiana não-tripulada para a lua, a Chandrayaan-1, pousou no satélite natural e começou a enviar suas primeiras imagens, disseram autoridades da agência espacial indiana (ISRO), nesta sexta-feira. A sonda lunar se desligou do veiculo lunar Chandrayaan-1 a aproximadamente 100 quilômetros da superfície da lua e pousou no pólo sul às 13h01 (horário de Brasília), disseram autoridades em Bangalore. A agência espacial indiana celebrou o feito em seu website dizendo que "a bandeira tricolor da Índia está na superfície da Lua".   A bandeira está pintada nas laterais da sonda. O dia do pouso coincide com o aniversário de Jawaharlal Nehru, o primeiro primeiro-ministro da Índia, após a independência do império Britânico. "Foi uma operação impecável", disse SK Shivakumar, diretor de comando e rastreamento de telemetria da ISRO. A sonda, que receberá o nome de Aditya, tem o objetivo de recolher um pouco de terra, que será analisada depois por instrumentos do próprio aparelho. A sonda já começou a enviar imagens para a nave mãe, disse Shivakumar. O objetivo principal da missão é procurar Hélio 3, um isótopo muito raro na Terra e que pode ser utilizado para providenciar energia em processos de fusão nuclear. O Hélio 3 poderá se tornar uma valiosa fonte energética no futuro. Estima-se que haja uma quantidade maior do isótopo na lua, mas ele ainda é raro e difícil de ser encontrado. A Índia lançou a Chandrayaan-1 no dia 22 de outubro, começando a participar da corrida espacial asiática e seguindo os passos da China para reforçar sua posição como potência mundial. A Chandrayaan-1, uma espaçonave construída pela ISRO, também é vista como um impulso para as ambições do país na área de negócios espaciais. Em abril, a Índia colocou em órbita 10 satélites utilizando apenas um foguete, e a ISRO diz que planeja mais lançamentos antes de uma missão tripulada para o espaço. O passo seguinte é seguir para Marte, após quatro anos. (Reportagem de Rina Chandran)

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIAINDIASONDALUNAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.