Sonda japonesa conseguiu pousar em asteróide

A sonda espacial japonesa Hayabusa (Falcão) conseguiu aterrissar por cerca de 30 minutos no asteróide Itokawa, no domingo passado. Inicialmente, a Agência de Exploração Aeroespacial Japonesa (Jaxa) informou que a manobra havia fracassado.Não foi possível, entretanto, coletar material do asteróide, como estava previsto. A Jaxa avalia se fará uma segunda manobra de pouso nesta sexta-feira, como já estava programado na missão da Hayabusa.A sonda, lançada ao espaço em 2003, tem o objetivo de coletar material do asteróide - cuja órbita passa entre a Terra e Marte - e trazê-lo para pesquisas. O Itokawa mede cerca de 630 metros de comprimento e está a aproximadamente 290 milhões de quilômetros de distância da Terra. A previsão é de que em junho do ano que vem a preciosa carga da Hayabusa, de 100 miligramas de material do asteróide, chegue à Terra num pouso perto da Austrália. Os cientistas japoneses esperam reunir dados sobre a história da formação do sistema solar.RobôUma parte da missão falhou completamente, mas sem comprometer o restante das manobras. Há cerca de dez dias a sonda enviou um pequeno robô, o Minerva, que tinha a função de analisar a composição e a temperatura da superfície do asteróide e enviar dados de segurança para o pouso da Hayabusa.As imagens enviadas pela sonda mostraram o Minerva - um dispositivo com três câmeras, pesando 600 gramas - se distanciando do asteróide sem tê-lo tocado. A Jaxa anunciou então ter perdido contato com o robô. Nota do Editor: Este texto foi alterado às 12h00, com o acréscimo de informações

Agencia Estado,

23 de novembro de 2005 | 10h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.