Sonda japonesa não encontra água no pólo sul da Lua

Achado contradiz descoberta de sinais de água feita por satélites americanos durante os anos 90

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

23 de outubro de 2008 | 17h05

Cientistas da Agência Espacial Japonesa (Jaxa) informam, na edição desta semana da revista Science, que a sonda Selene-Kaguya, enviada pelo Japão para orbitar a Lua em 2007, não encontrou sinais de água no fundo da cratera Shackleton, no pólo sul lunar.    Nasa adia próxima missão de exploração da Lua para 2009  Índia lança sua primeira missão não tripulada à Lua   Nos anos 90, duas sondas orbitais dos Estados Unidos, Clementine e Lunar Prospector, detectaram sinais que poderiam ser de água congelada na região, onde algumas crateras, como a própria Shackelton, têm áreas onde a luz do Sol nunca chega. A sombra perpétua permitira a acumulação de gelo, e tornaria o local atraente para o estabelecimento de uma base na Lua.   O próprio artigo japonês abre reconhecendo que a questão da presença de gelo nos pólos lunares "é potencialmente importante para a colonização por humanos na Lua e para viagens ao espaço além da Lua". No entanto, imagens feitas pela Selene-Kaguya do fundo de Shackleton não revelam, ali, o brilho que seria esperado caso houvesse um reservatório de gelo no local.  Para fazer a imagem da região da cratera imersa em sombra, a Selene-Kaguya usou a luz refletida pelas encostas do declive.   O pesquisador Junichiri Haruyama, um dos autores do artigo na Science, diz que os sinais obtidos pelas sondas americanas na década de 90 poderiam ser explicados, diante dos resultados da  Selene-Kaguya, como "gelo misturado ao solo, gelo coberto pelo solo ou hidrogênio implantado pelo vento solar". "Minha favorita é a terceira hipótese, mas a primeira ou a segunda podem acabar sendo as verdadeiras", disse Haruyama.   Este não é o primeiro resultado negativo para água em Shackleton. Em 2003 e, depois, em 2006, o radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico, não foi capaz de confirmar a presença de massas de gelo na área. E em fevereiro deste ano a Nasa apresentou o mais detalhado mapa já feito do pólo sul da Lua, também sem a conformação de depósitos de gelo.   A "Visão para Exploração Espacial" anunciada pelo presidente dos EUA, George W. Bush, em 2004, pede um retorno de astronautas à Lua por períodos de permanência cada vez mais prolongados, começando a partir de 2015. A existência de gelo permitira que os astronautas obtivessem água, combustível e oxigênio para respirar com recursos locais.   Atualmente, Japão e China têm sondas em órbita da Lua. Além da Selene-Kaguya, lançada em setembro de 2007, há a chinesa Chang'e, que partiu em outubro do mesmo ano. Nesta semana, a Índia fez o lançamento de sua própria sonda lunar, a Chandrayaan-1. Já a Nasa anunciou recentemente o adiamento de sua próxima sonda lunar, o Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), de  dezembro deste ano para  fevereiro de 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
luashackeltonjaxakaguya

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.