Sonda Phoenix deve chegar a Marte ainda neste domingo

Expectativa entre os cientistas é grande; última aterrissagem bem sucedida da Nasa ocorreu há 30 anos

AP,

25 de maio de 2008 | 13h42

A sonda espacial Phoenix da Nasa estava se aproximando de Marte neste domingo, 25, para o que cientistas esperam ser a primeira aterrissagem próxima ao pólo norte do planeta para estudar se Marte já abrigou alguma forma de vida primitiva.   O tempo que leva para a sonda atravessar a atmosfera e se instalar na superfície empoeirada ficou conhecido como "os sete minutos do terror" por uma boa razão. Mais da metade das tentativas de chegar ao solo marciano terminaram em fracassos.   "Eu estou um pouco nervoso por dentro. Estou tendo calafrios", disse Peter Smith, investigador principal da Universidade do Arizona, disse na véspera da finalização da missão. "Nós apostamos tudo nessa aterrissagem segura e nós não podemos fazer nossa ciência sem essa aterrissagem segura."   Phoenix está programada para atravessar a atmosfera do planeta vermelho, e vai depender do uso de seu escudo protetor de altas temperaturas, de seu pára-quedas e de seus propulsores para desaceleração, para uma aterrissagem segura.   O roteiro ideal, "nós desenvolveremos fora deste casulo, abriremos nossas asas e nos transformaremos nesta linda borboleta quando chegarmos na superfície", disse Ed Sedivy, diretor de programação da Lockheed Martin Corp., que construiu a Phoenix.   Os controladores da missão decidiram no sábado, 24, suspender a oportunidade de ajustar o caminho de vôo da Phoenix para que a aterrissagem atingisse bem o alvo.   Nasa não tem uma aterrissagem de sucesso em mais de três décadas desde as sondas gêmeas Viking, em 1976. A última vez que a agência espacial tentou uma missão a Marte foi em 1999, quando a sonda Polar Marte, que planejava aterrissar no pólo sul do planeta, se chocou com solo após desligar os motores prematuramente.

Tudo o que sabemos sobre:
sondamartephoenix

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.