Sonda pode ter achado substância tóxica em Marte

A sonda Phoenix Mars Lander podeter encontrado perclorato, uma substância potencialmente tóxicausada no combustível espacial, nas amostras de solo recolhidasem Marte, disseram cientistas da Nasa na segunda-feira. A agência espacial ainda vai realizar novos testes paraconfirmar a presença do material, mas descartou a contaminaçãoda sonda. A principal tarefa da Phoenix em Marte é descobrir se há ouhouve água líquida em Marte e se existe ou existiu vida por lá,mesmo que microbiana. Na semana passada, a Nasa divulgou provas supostamentedefinitivas de que existe água em Marte, resultado de novasanálises sobre uma pedra de gelo recolhida em junho. A Nasa evitou dizer que a presença do perclorato impediriaa vida, embora seja sabido que essa substância oxidante énociva aos humanos sobre certas circunstâncias. Sua presença nosolo pode sugerir um ambiente menos hospitaleiro do que oscientistas pensavam. "É surpreendente, já que uma medição anterior (doequipamento chamado Analisador Termal e Gás-Evoluído) domaterial na superfície era consistente com, mas não conclusivoa respeito da presença do perclorato", disse Peter Smith,cientista-chefe da Phoenix. "Embora não tenhamos completado nosso processo sobre essasamostras de solo, temos resultados intermediários muitointeressantes", acrescentou. Segundo ele, análises mais detalhadas contrariaram a idéiainicial de que o solo de Marte seria semelhante ao da Terra. Para excluir a hipótese de que o perclorato tenha sidolevado a Marte pela Phoenix, a Nasa está revendo seus processosde controle de contaminação pré-lançamento. Depois de ter comprovado a existência de água congelada emMarte, a Nasa decidiu prorrogar em cinco semanas a missão dasonda, para que ela também possa buscar condições para osurgimento de vida. Isso vai acrescentar um custo de cerca de 2 milhões dedólares aos 420 milhões já gastos na missão, que chegou a Marteem 25 de maio e deveria funcionar por três meses. Em conclusões que foram consideradas "um enorme passo àfrente", a Nasa havia revelado em julho a existência demagnésio, sódio, potássio e outros elementos num solo que émais alcalino do que os cientistas pensavam --e portanto maispropenso à vida.

DAN WHITCOMB, REUTERS

05 de agosto de 2008 | 11h22

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIAMARTETOXICO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.