Sondas em Marte preparam-se para chegada de nova nave

Um dos objetivos da missão será determinar se o ártico de Marte já teve condições de sustentar micróbios

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

28 de fevereiro de 2008 | 16h54

Três naves em órbita de Marte começaram a ajustar suas órbitas para poderem captar os sinais da sonda Phoenix Mars Lander, que deverá entrar na atmosfera do planeta vermelho em 25 de maio.   De acordo com nota divulgada pela Nasa, todo pouso em Marte é arriscado - tanto os EUA quanto a União Européia e a antiga União Soviética já perderam equipamentos enviados ao planeta - e a cobertura por três sondas orbitais definirá "um novo padrão para eventos críticos" durante pousos.    A chegada da Phoenix será acompanhada pelas sondas Mars Odissey e Mars Reconnaissance Orbiter, da Nasa, e Mars Express, da Agência Espacial Européia (ESA).   Lançada em 4 de agosto de 2007, a Phoenix pousará mais próximo do pólo norte que qualquer outro aparelho já enviado a Marte. Acredita-se que o local escolhido para o pouso tenha uma camada de solo e gelo misturados logo abaixo da superfície. Essa material será recolhido pelo braço robótico da Phoenix e analisado em laboratórios automáticos a bordo da sonda. Um dos objetivos da análise será determinar se essa região de Marte já teve condições de sustentar micróbios.   A questão da presença de vida microscópica em Marte continua controversa. Sinais positivos obtidos pelas sondas Viking nos anos 70 foram, posteriormente, atribuídos a reações químicas no solo.   Décadas depois, cientistas na Nasa apresentaram um meteorito de origem marciana e descoberto na Antártida, ALH 84001, que conteria fósseis de microorganismos de Marte - hoje, a evidência apresentada para apoiar essa hipótese é considerada fraca por boa parte da comunidade científica.   Mais recentemente, em 2004, sinais de gás metano detectados na atmosfera de Marte foram apontados como indicadores de vida mas, novamente, sem constituir evidência conclusiva.

Tudo o que sabemos sobre:
martevidaphoenix

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.