Sorriso de Monalisa é ´ilusão´, diz neurobióloga

O enigmático sorriso da Monalisa, de Leonardo da Vinci, é "uma ilusão que aparece e desaparece devido à maneira peculiar como o olho humano processa as imagens", de acordo com uma pesquisa sobre os mecanismos da visão, da neurobióloga Margaret Livingstone.No Congresso Europeu de Percepção Visual (ECVP 2005), realizado nesta semana em La Coruña, a pesquisadora argumentou que Da Vinci conseguiu um efeito pelo qual o sorriso da Gioconda desaparece quando o quadro é visto diretamente e só reaparece quando a vista é fixada em outras partes do quadro.Segundo esta professora da Universidade de Harvard, o artista criou, no século 16, essa ilusão usando "de maneira intuitiva" truques que agoracomeçam a ter base científica.A teoria de Livingstone se apóia no fato de que o olho humano tem uma visão central, muito boa para reconhecer os detalhes, e outra periférica, menos precisa, mas mais adequada para perceber as sombras."Da Vinci pintou o sorriso da Monalisa usando sombras que vemos muito melhor com nossa visão periférica", afirmou ela nesta quinta-feira.Por isso, para a Monalisa sorrindo é preciso olhar nos olhos da pintura ou qualquer outra parte do quadro, de modo que seus lábios fiquemno campo da visão periférica.Livingstone estuda agora porque tantos gênios da pintura tinham alguma deficiência visual.A pesquisadora usou o exemplo de Rembrandt, cujo estrabismo reduzia sua capacidade para ver em três dimensões, o que, em sua opinião, foi bom porque "ter uma percepção da profundidade pobre pode ser uma vantagem em uma profissão em que o objetivo é modelar o mundo tridimensional em uma tela plana".A pesquisadora disse que não tenta "desmitificar a arte", mas explicar cientificamente técnicas que os artistas vieram usando de maneira intuitiva há muito tempo."Os artistas estão há muito mais tempo que nós, os neurobiólogos, estudando os processos visuais", reconheceu.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2005 | 15h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.