SOS Mata Atlântica fará ato por ambientalista morto

A Fundação SOS Mata Atlântica fará neste sábado um ato ecumênico nas escadarias da Catedral da Sé em homenagem ao ambientalista Francisco Anselmo de Barros, que morreu domingo, em Campo Grande, depois de atear fogo ao próprio corpo para protestar contra o projeto de lei prevendo a instalação de usinas de álcool e açúcar na Bacia do Alto Paraguai, no Pantanal.Barros, que era presidente da Fundação para a Conservação da Natureza de Mato Grosso do Sul (Fuconams), participava, no sábado, de uma manifestação no centro de Campo Grande contra o projeto. Ele chegou a ser socorrido, masmorreu 22 horas depois, na Santa Casa.Segundo o diretor da Fundação SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani, o ato ecumênico deve reunir cerca de mil pessoas, entre ecologistas e políticos ligados às causas ambientais. Logo após a celebração, marcada para às 13h00, deverão ser realizadas manifestações a favor do Pantanal e contra as usinas.O poeta pantaneiro Manoel de Barros enviou um poema à viúva do ambientalista, Iracema Sampaio, lamentando o ato extremo do amigo.Num dos trechos, Manoel de Barros escreve: "Foi uma imolação pela Pátriaque na terra do mensalão destoa". Em outro trecho, acrescenta: "Paramim tem o componente maior do heroísmo. Francelmo o último herói doBrasil".

Agencia Estado,

17 de novembro de 2005 | 19h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.