Stedile comemora recuo na Lei de Biossegurança

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), João Pedro Stedile, comemorou o recuo na aprovação do projeto da Lei de Biossegurança e afirmou que, do jeito que ficou, o texto ?é um risco e não uma proteção à biossegurança nacional?.?Felizmente, parece que o governo retirou?, declarou Stedile. Segundo ele, as mudanças feitas por ?senadores conservadores? refletem ?apenas os interesses dos grandes grupos econômicos representados no Legislativo?. O projetopassou por três comissões no Senado.?Espero que os deputados, ao revisarem a lei do Senado, voltem à proposta original enviada pelo governo, que era a mais sensata para os interesses do povo brasileiro", afirmou.O líder do MST afirmou que ?os ruralistas atrasados se uniram com as grandes multinacionais que controlam o agronegócio em todo o mundo e querem impor uma lei que fere a soberania alimentar do País e coloca em risco o meio ambiente brasileiro?.Stedile disse que a edição de uma medida provisória para liberar a soja transgênica servirá ?apenas para resolver problemas econômicos e atender às pressões dogoverno e dos ruralistas gaúchos, que estão praticando ilegalidades há muito tempo?.?Esperamos que o Governo retome o projeto original, quando consultou várias entidades, diversos setores sociais e preparou um projeto de lei razoável, equilibrado?, declarou. ?Na Câmara, por iniciativa ? pasmem ? do deputado Aldo Rebelo, este foi completamente desfigurado, ao ponto de a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, ameaçar pedir demissão. Feito um acordo, foi ao Senado.?Stedile afirmou que ninguém até hoje provou que os alimentos transgênicos não causam mal à saúde. ?As sementes transgênicas representam entregar o controle da base de nossa agricultura ao monopólio das transnacionais?, disse.?Por outro lado, foram comercializadas 4 milhões de toneladas de soja transgênica só nesta safra. A Monsanto está feliz com seus subalternos brasileiros. Na última safra recolheu milhões de reais, a título de royalties, de milhares de agricultores brasileiros, sem ter plantado ou vendido uma grama sequer de sementes. E assim salvou sua matriz do vermelho."   leia mais sobre transgênicos

Agencia Estado,

16 de setembro de 2004 | 19h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.