STF cassa liminar que dava liberdade a Roger Abdelmassih

Ex-médico é acusado de estupro e atentado violento ao pudor contra ex-pacientes

Mariângela Gallucci - O Estado de S. Paulo,

15 Fevereiro 2011 | 19h05

BRASÍLIA - O Supremo Tribunal Federal (STF) cassou nesta terça-feira, 15, uma liminar que permitia ao ex-médico Roger Abdelmassih responder em liberdade ao processo no qual foi acusado de crimes de estupro e atentado violento ao pudor contra ex-pacientes e uma ex-funcionária de sua clínica de fertilização.

Em dezembro de 2009, Abdelmassih conseguiu uma liminar no STF que garantiu a sua libertação. Em novembro de 2010, o ex-médico foi condenado a 278 anos de prisão, mas desde janeiro está foragido. "Todo o raciocínio central do meu voto baseia-se no fato de que o paciente, ao que consta, seria um delinquente sexual que por acaso é médico", disse durante o julgamento a relatora do pedido de habeas corpus, Ellen Gracie.

"Não é necessário que seja médico para que o mesmo tipo de delito seja praticado; apenas era facilitado em razão das circunstâncias em que ele atuava e pelo estado de fragilidade em que se encontravam as suas eventuais vítimas. E ficou bem claro, isso é reconhecido tanto no STJ (Supremo Tribunal de Justiça) quanto pelos colegas, que nem todas as vítimas eram pacientes", afirmou a ministra.

Mais conteúdo sobre:
STF liberdade Roger Abdelmassih

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.