Substância de caracol vira analgésico para dores fortes

Um novo grupo de analgésicos para dores crônicas foi desenvolvido com base na toxina do caracol marinho Conus magnus e chegará ao mercado em vários países da Europa e nos EUA em 2006, informou nesta segunda-feira o anestesista Hans-Georg Kress.O pesquisador é autor de estudos clínicos sobre a substância ativa, a ômega-conotoxina, que representa a primeira novidade para o tratamento de dor forte desde a descoberta da morfina, há 200 anos.Kress, chefe da unidade de anestesia e cuidados intensivos do Hospital Geral de Viena, na Áustria, destacou que foi desenvolvido um novo medicamento sobre esta base chamado Ziconotide.O remédio funciona especialmente nos pacientes em que a morfina aplicada em áreas próximas da medula óssea não surte o efeito desejado ou que mostram fortes efeitos colaterais que contra-indicam os opiáceos.Setas venenosasO mecanismo utilizado pelo ziconotide é inovador porque imita o caracol carnívoro Conus magnus, que dispara diminutas setas venenosas contra sua presa, pequenos peixes, e os paralisam em poucos segundos.As conotoxinas são compostos de albuminas muito pequenas, com 10 a 30 aminoácidos, cujas moléculas, graças ao seu tamanho, chegam rapidamente ao destino, os chamados canais de íons nas membranas celulares do cérebro e da espinha dorsal.O que mata o animal perseguido pelo caracol marítimo tem um efeito muito positivo no corpo humano, se a dose for adequada, porque inibe a geração da dor.Apesar de se tratar de uma inovação promissora, não é uma droga milagrosa para qualquer dor crônica, ressaltou o cientista à imprensa, mas um produto contra a dor difícil de ser tratada.Sua aplicação é relativamente complicada, porque deve ser administrado como infusão e próximo da coluna vertebral, com uma bomba, o que geralmente só é possível em centros especializados.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2005 | 13h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.