Suécia opta por energia nuclear contra o aquecimento global

País havia banido esse tipo de energia desde 1980 devido a preocupações com a segurança das usinas nucleares

AP,

05 de fevereiro de 2009 | 16h59

O governo da Suécia decidiu nesta quinta-feira, 5, voltar atrás na proibição de três décadas da construção de reatores nucleares, dizendo que precisa evitar produzir mais gases estufa. A Suécia é líder em energias renováveis mas está lutando para desenvolver fontes alternativas. como energia eólica e hídrica, para cumprir suas demandas energéticas. Se o parlamento aprovar voltar atrás na proibição, a Suécia se juntará a uma crescente lista de países que estão repensando a opção nuclear como fonte de energia, em meio a preocupações com o aquecimento global. O Reino Unido, França e Polônia estão planejando novos reatores e a Finlândia está construindo, atualmente, a primeira usina atômica em mais de uma década. O acordo só foi possível depois de uma concessão do Partido de Centro, membro da coalizão que há muito tempo foi cético quanto à energia nuclear.  "Estou fazendo isso pelo bem de meus filhos e meus netos", disse a líder do partido, Maud Olofsson. "Eu posso viver com o fato de que a energia nuclear fonercerá parte de nossa energia em um futuro próximo." Legisladores decidiram, depois de um referendo em 1980, eliminar progressivamente a energia nuclear, que compunha 50% da eletricidade do país.  O referendo de 1980 veio em uma época em que as preocupações quanto à segurança desse tipo de energia depois do acidente de Three Mile Island nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalSuécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.