Suíços cobram pedágio de estrangeiros por emissão de carbono

Uma decisão tomada na Cúpula Mundial da Sociedade da Informação, que terminou nesta sexta-feira em Genebra, gerou o espanto e a indignação de muitos. Os suíços cobraram um "pedágio voluntário" de cada delegado que foi a Genebra, pela poluição extra que cada visitante causou, principalmente no que se refere ao combustível dos aviões utilizados para chegar à cidade.O projeto foi coordenado pelas agências de desenvolvimento da Suíça, que pediam que os visitantes compensassem a poluição extra, principalmente do ar, com uma doação. Até mesmo uma tabela foi estabelecida sobre quanto deveriam pagar cada delegado pelo CO2 jogado a mais na atmosfera.Mais longe, mais caroComo parte do cálculo era a distância entre os países e a Suíça, representantes do Brasil, Argentina e do sul da África teriam que pagar uma taxa até cinco vezes mais alta que alguém que estivesse vindo de Londres, Nova Iorque ou Moscou. Para o Brasil, a taxa era de US$ 86 pela geração de 5,7 toneladas extras de CO2 na atmosfera durante o evento. Já para Londres, o pedágio era de US$ 18.O organizador do projeto, Marc Jaberg, afirmou ao Estado que o dinheiro arrecadado seria enviado em grande parte para um projeto de desenvolvimento de energia limpa na Índia. Mas outra parte do dinheiro ficaria na Suíça para compensar pela poluição extra causada pelos hotéis, salão de exposição e outros lugares.No total, o governo acredita que a Cúpula Mundial de Genebra lançou na atmosfera 10 mil toneladas de CO2 a mais do que já existe. "Essa é a primeira vez que se cobra pela poluição gerada para uma conferência da ONU", afirmou um delegado africano. Nenhum dos delegados brasileiros entrevistados pelo Estado tinha feito o pagamento da taxa e não pretendia fazer. O próprio governo suíço não soube dizer quanto havia arrecadado, mas garantiu que alguns visitantes já tinham feito o depósito. "Esse é um valor acima de um salário mínimo no Brasil", justificou um representante da sociedade civil brasileira.

Agencia Estado,

12 de dezembro de 2003 | 12h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.