Bill Rodman/Nasa/Reuters
Bill Rodman/Nasa/Reuters

Superbalão da Nasa começa a coletar dados no espaço

Equipamento, do tamanho de um estádio de futebol, foi lançado na terça-feira de ilha na Nova Zelândia e deve ficar no ar por 100 dias

O Estado de S.Paulo

26 Abril 2017 | 01h46

WELLINGTON - Um balão de superpressão do tamanho de um estádio lançado pela Nasa na Nova Zelândia começou a coletar dados no espaço nesta quarta-feira, 26. A jornada, após várias tentativas frustradas por tempestades e ciclones, deve durar 100 dias. 

O balão, desenvolvido pela Nasa, é capaz de detectar partículas de energia cósmica de regiões de fora da galáxia quando elas entram na atmosfera da Terra. Espera-se que o equipamento dê a volta no planeta duas ou três vezes. 

"A origem dessas partículas é um grande mistério que queremos resolver. Elas vêm de buracos negros maciços no centro das galáxias? Ou de algum outro lugar?, questiona em comunicado Angela Olinto, professora da Universidade de Chicago e principal pesquisadora do projeto. 

Os trabalhos do balão são apenas o começo de uma longa busca que no futuro vai envolver uma missão espacial da Nasa. Lançado na terça-feira em Wanaka, na Ilha do Sul da Nova Zelândia, o equipamento vai coletar dados de 34 quilômetros acima da Terra. 

A Nova Zelândia também foi base do lançamento do programa de balão científico da Nasa em 2015 e 2016. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Nasa Terra Nova Zelândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.