Surgem novas provas de que Marte já esteve repleto de água

Minerais encontrados no solo deMarte mostram que o planeta já esteve coberto por lagos, rios eoutros ambientes hídricos capazes de abrigar vida, disserampesquisadores dos Estados Unidos na quarta-feira. Em junho, a sonda Mars Phoenix Lander encontrou gelo nasuperfície marciana, mas o material está muito congelado ecoberto de poeira vermelha. Em artigo na revista Nature, umgrupo de cientistas mostra que esse gelo é um resquício de umaépoca mais quente e úmida. "Isso é realmente animador, porque estamos encontrandodezenas de locais onde futuras missões podem pousar para tentarentender se Marte já foi habitável e, em caso positivo,procurar sinais de vida passada", disse John Mustard,participantes do estudo, da Universidade Brown, de Providence,Rhode Island. "Os minerais presentes na antiga crosta de Marte mostramuma variedade de ambientes úmidos", acrescentou Mustard. A equipe usou um equipamento chamado Crism ("espectrômetrocompacto de reconhecimento por imagens para Marte", em inglês)e outros instrumentos da Mars Reconnaissance Orbiter paraavaliar as cores refletidas na luz do sol. Isso ajuda adeterminar que minerais há ali. Os minerais argilosos teriam de ter sido formados atemperaturas relativamente baixas, disseram os pesquisadores."O que isso significa para a habitabilidade? É muito forte",disse Mustard. "Não era um caldeirão tão quente, fervente. Eraum ambiente benigno, rico em água durante um longo período." As conclusões se encaixam na análise da missão Phoenix MarsLander, que, além de gelo, encontrou também solo alcalino, quepoderia ter abrigado vida. "A grande surpresa desses novos resultados é como a água deMarte foi impregnante e duradoura, e como os ambientes úmidoseram diversos", disse Scott Murchie, pesquisador-chefe do Crismno Laboratório de Física Aplicada da Universidade JohnsHopkins, em Laurel, Maryland. (Por Maggie Fox)

REUTERS

16 de julho de 2008 | 15h46

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIAMARTEAGUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.