Tabagismo prejudica a memória, segundo estudo

Um novo estudo sugere que fumar demais prejudica o cérebro. Pesquisadores acompanhavam a saúde de quase 2.000 adultos britânicos quando descobriram que pessoas que fumam muito sofrem perda de memória na meia-idade. As pessoas estudadas têm pouco mais de 50 anos atualmente, ainda jovens demais para saber se o declínio na memória levará a complicações na idade avançada.Alguns exames sugerem que as pessoas que fumam muito e sobrevivem às maiores ameaças do tabagismo - câncer no pulmão e doenças cardíacas - correm mais riscos de declínio cognitivo em idades avançadas, segundo reportagem publicada no American Journal of Public Health.Outros estudos já incluíram o tabagismo como um dos fatores da senilidade. Uma das causas é a redução do fluxo sangüíneo no cérebro. O fumo tem relação com o estreitamento das artérias e com pequenos problemas cardíacos que prejudicam a distribuição do sangue pelo corpo.O estudo é parte de uma pesquisa mais abrangente que pretende controlar a saúde de milhares de pessoas nascidas na Grã-Bretanha em 1946. Parte dos participantes da pesquisa passou por testes de memória, concentração e velocidade visual aos 43 anos e, depois, aos 53.Pessoas que fumam mais de um maço de cigarros por dia sofreram declínio um pouco mais acentuado na memória verbal e na velocidade visual, concluíram os pesquisadores. Eles continuarão examinando os participantes para acompanhar os efeitos do envelhecimento.

Agencia Estado,

29 de maio de 2003 | 18h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.