Tailandeses querem clones de seringueiras do Brasil

Produtores de borracha no Brasil já desenvolvem há algum tempo clones de seringueiras resistente à praga "mal-das-folhas", provocada pelo fungo Microcyclus ulei, que mata a planta e pode devastar seringais.Na semana passada representantes da indústria da borracha de todo o mundo estiveram na Ilha de Itaparica, na Baía de Todos os Santos, discutindo as formas de barrar a propagação da praga, principalmente na Tailândia que responde com mais de 90% da produção do planeta, cerca de 7 milhões de toneladas anuais.A Michelin do Brasil, subsidiária da maior produtora mundial de pneus, desenvolve desde o início da década de 90 pesquisas no município de Igrapiúna, sul da Bahia, numa fazenda de 9 mil hectares, onde mantém um dos mais avançados centros de investigação fitopatológica da América Latina que tem a colaboração do Centro de Cooperação Internacional em Pesquisas Agronômicas para o Desenvolvimento da França.O trabalho dos especialistas resultou na identificação de 46 variedades do fungo e no desenvolvimento de quatro clones da planta resistentes à praga que vem sendo cultivados em escala semi-industrial.Os clones são exportados para vários Estados, principalmente as plantações da Michelin no Mato Grosso. As pesquisas desenvolvidas no Brasil interessam vivamente os tailandeses que esperam retardar ao máximo a entrada do "mal-das-folhas" no sudeste asiático com a ajuda do know-how brasileiro.

Agencia Estado,

11 de maio de 2004 | 19h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.