Taiwan lança cultivos de algas para eliminar dióxido de carbono

A primeira 'fazenda de algas' é um tanque de dez m² no qual são cultivadas algas microscópicas

Efe

07 de julho de 2008 | 17h13

A empresa de eletricidade Taipower anunciou planos para criar "fazendas de algas" destinadas a reduzir suas emissões de dióxido de carbono, e contribuir assim para a melhora do meio ambiente.   A primeira fazenda foi instalada na planta geradora de energia elétrica de Tailin, em Kaohsiung, ao sul da ilha, anunciou nesta segunda-feira, 7, a empresa em comunicado de imprensa.   A fazenda consiste em um tanque de dez metros quadrados no qual são cultivadas algas microscópicas, que podem capturar até uma tonelada de dióxido de carbono por ano.   A Taipower quer aumentar a superfície de seu tanque piloto para um hectare e depois estender o projeto a outras usinas elétricas na ilha.   Um hectare de árvores só captura cerca de 25 toneladas de dióxido de carbono por ano, o que é uma quarta parte do que se pode obter com as algas.   As algas, além de capturar o dióxido de carbono, podem ser utilizadas como matéria-prima para cosméticos e alimentos saudáveis.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalTaiwan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.