Tapas e cortes mataram a múmia mais velha do mundo

Desde seu descobrimento, Ötzi passou por numerosos exames que estabeleceram detalhes sobre sua vida

Efe,

29 de janeiro de 2009 | 16h17

Análises realizadas na múmia humana mais antiga do mundo, de 5.300 anos e conhecida como o "homem do gelo", revelaram que ele foi assassinado a tapas e golpes de algum objeto contundente e cortante, informou nesta quinta-feira, 29, o jornal Corriere della Sera. Veja também: 'Homem do gelo' não tem mais descendentes, diz estudo Além de flechada, Homem do Gelo levou pancada na cabeça Desde seu descobrimento, "Ötzi", como se conhece popularmente a múmia ao ser encontrada, em 1991, entre geleiras do vale de Ötz, nos Alpes italianos, a múmia passou por numerosos exames que estabeleceram detalhes sobre sua vida. Já se sabia que Ötzi viveu naquela região, no ano 3300 a .C. e morreu aos 46 anos, mas ainda restava a dúvida sobre como ele morrera, o que começou a se investigar a partir de ferimentos encontrados em seu corpo. O último exame realizado por uma equipe da Universidade LMU de Munique (Alemanha) em colaboração com o Instituto de Patologia de Bolzano (Itália) revelou que o "homem do gelo" morreu após vários ataques de rivais. "Ötzi foi golpeado duas vezes em seus últimos dias de vida e em dois ataques distintos", explicou o chefe da equipe de cientistas, Andreas Nerlich, Corriere della Sera. Os cientistas asseguram que pouco após ser ferido, enquanto sangrava, ele recebeu o definitivo golpe mortal nas costas com um objeto contundente.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciaÖtzi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.