Técnica equina de células-tronco será testada em pessoas

Uma técnica de reparo por células-tronco, que já foi usada para curar lesões em centenas de cavalos de corrida, será testada pela primeira vez em pessoas com rompimento do tendão de Aquiles.

REUTERS

15 de abril de 2009 | 17h09

A empresa britânica de biotecnologia MedCell Bioscience anunciou na quarta-feira que irá iniciar testes clínicos dentro de 12 meses, e que planeja realizar um estudo confirmatório maior em vários hospitais europeus em 2011.

Os pacientes receberão injeções contendo milhões das suas próprias células-tronco, extraídas do organismo e multiplicadas em laboratório. Tais células seriam capazes de gerar novos tecidos para reparar regiões danificadas.

Mais de 1.500 cavalos de corrida já foram tratados com o uso do mesmo processo, e avaliações posteriores sugerem uma redução de 50 por cento na reincidência das lesões num período de três anos, em comparação com o tratamento convencional.

"A passagem da veterinária clínica para a medicina humana é inspiradora e não-usual - normalmente vemos a tradução ocorrendo no sentido contrário", disse Nicola Maffulli, cirurgião-ortopedista e especialista em medicina esportiva que participará do teste clínico.

A terapia com células-tronco se tornou a franca favorita para o tratamento de danos nos tendões no universo do turfe -onde esse tipo de contusão é muito comum, afetando animais que podem valer milhões de dólares.

A técnica de reparo foi desenvolvida pioneiramente pelo Real Colégio Veterinário, na zona norte de Londres, que contribuiu com a formação da MedCell.

(Reportagem de Ben Hirschler)

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIACELULATCAVALOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.