Divulgação
Divulgação

Técnica permite descoberta de planetas em dados do Hubble

Nova estratégia foi demosntrada identificando um exoplaneta não detectado em imagens de 1998 do telescópio

da Redação,

01 de abril de 2009 | 19h09

Uma poderosa técnica de processamento de imagens, aperfeiçoada recentemente, pode permitir que astrônomos descubram planetas extrassolares que possivelmente estão ocultos em mais de uma década de informações coletadas pelo Telescópio Hubble.

 

David Lafreniere da Universidade de Toronto, Canadá, demonstrou com sucesso sua nova estratégia para buscar planetas identificando um exoplaneta presente, mas não detectado, nas imagens tiradas em 1998 pelo Hubble com sua Near Infrared Camera and Multi-Object Spectrometer (NICMOS).

 

O planeta, que se estima ter sete vezes a massa de Jupiter, foi originalmente descoberto em imagens feitas com os telescópios Keck e Gemini North em 2007 e 2008. Ele é o mais distante dos três planetas conhecidos que orbitam a estrela HR 8799, a 130 anos-luz da Terra. A NICMOS não pôde ver os outros dois planetas devido a interferências na imagem.

 

As imagens do Hubble foram tiradas 10 anos antes da descoberta pelo Keck/Gemini, e não somente fornecem importante confirmação da existência do planeta, como a demonstração de que o planeta orbita a estrela.

 

A imagem da NICMOS forneceu importantes informações sobre as características físicas do planeta, também. Isso foi possível porque NICMOS trabalha com ondas infravermelhas que são bloqueadas pela atmosfera da Terra devido à absorção pelo vapor de água. "O planeta parece ser parcialmente coberto por nuvens, e pudemos detectar absorção de radiação pelo vapor de água em sua atmosfera", disse Travis Barman do Lowell Observatory. "Medir as propriedades de absorção da água nós dirá muito sobre as temperaturas e pressões nas atmosferas dos planetas ao redor da HR 8799", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
espaçoNasaciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.