Técnica reduz à metade o tempo para produzir vacina

Cientistas americanos criaram uma nova forma de cultivo do vírus da gripe comum que poderia acelerar o desenvolvimento e a produção de vacinas. A técnica pode ser aplicada para a produção de vacina contra uma eventual variação do H5N1, o vírus mais letal da gripe aviária, que tem potencial para infectar humanos.O tempo necessário para desenvolver uma vacina cairia dos atuais seis meses para três, afirmam os pesquisadores da Universidade de Wisconsin, em artigo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.O sistema se baseia numa reversão genética que utiliza uma só cadeia de genes, e não sete como acontecia até agora. Ao reduzir o número de cadeia de genes, se aumenta a eficiência do vírus, o que suporia um aumento automático de sua produção, disse Yoshiro Kawaoka, um dos cientistas participantes do estudo.Segundo Karen Lacourciere, pesquisadora do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, este método tem um grande potencial para a produção de diversas cepas do vírus da gripe. No entanto, ela advertiu que o sistema ainda foi não aplicado na produção de uma vacina específica contra a gripe, portanto não é possível determinar seu verdadeiro valor.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

03 de novembro de 2005 | 10h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.