Técnicos avaliam acidente com carga tóxica em Uberaba

O secretário de Estado de Meio Ambiente em Minas Gerais, José Carlos Carvalho, afirmou hoje que a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), técnicos da Petrobras e da Companhia Vale do Rio Doce estão desde o início da tarde avaliando a dimensão do descarrilamento de um trem de carga da Ferrovia Centro-Atlântica, que ocorreu na madrugada de hoje. (FCA). Carvalho informou que as primeiras providências tomadas foram a suspensão preventiva do abastecimento de água da cidade de Uberaba, no Triângulo Mineiro.De acordo com informações da FCA, que é controlada pela Vale do Rio Doce, o comboio era composto por 18 vagões e o acidente ocorreu no km 1.034 da ferrovia na zona rural de Uberaba. Destes vagões, cinco transportavam 245 toneladas de octanol; oito, 381 toneladas de metanol; dois, tinham 94 toneladas de isobutanol e três, 147 toneladas de cloreto de potássio. Um vagão contendo metanol explodiu.Segundo o secretário, os outros vagões estão sob cuidados para evitar novas explosões. A carga estava sendo transportada do Pólo Petroquímico de Camaçari, na Bahia, para Paulínia, em São Paulo. A FCA ainda não divulgou quais foram as causas do acidente. Carvalho informou que uma reunião de trabalho entre os técnicos da secretaria e das companhias envolvidas será realizada ainda hoje, a partir das 18 horas.

Agencia Estado,

10 de junho de 2003 | 17h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.