Telescópio capta estrelas nascendo em meio a nuvem de poeira

Imagem de infravermelho detecta astros em formação na constelação de Ofiúco, perto de Escorpião e Sagitário

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

11 de fevereiro de 2008 | 19h22

Imagem feita pelo telescópio espacial Spitzer, da Nasa, mostra estrelas recém-nascidas em meio à nuvem de poeira escura que lhes deu origem. A nuvem, localizada entre as constelações de Escorpião e Ofiúco, é um dos berçários de estrelas mais próximo da Terra, a cerca de 407 anos-luz.     Chamada de Rô de Ofiúco, a nuvem é composta, principalmente, de moléculas de hidrogênio. De acordo com a Nasa, há mais de 300 estrelas jovens na grande nuvem central do complexo. A maioria das estrelas, ali, tem centenas de milhares de anos. Os astros mais antigos do Universo, em comparação, têm cerca de 12 bilhões, e o próprio Sol tem mais de 4 bilhões.   A imagem, colorizada pela Nasa, foi feita a partir de dados da nuvem principal do complexo, Lynds 1688, coletados pela câmara infravermelha do Spitzer. As cores representam diferentes temperaturas e estágios de evolução das estrelas. As partes mais jovens do complexo, onde as estrelas ainda estão envoltas em discos de gás, aparecem em vermelho. Estrelas mais evoluídas, que já escaparam de seus envelopes, são marcadas em azul.

Tudo o que sabemos sobre:
estrelasspitzer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.