NASA, ESA; acknowledgment: T. Roberts (Durham University, UK), D. Calzetti (University of Massachusetts) and the LEGUS Team, R. Tully (University of Hawaii) and R. Chandar (University of Toledo)
NASA, ESA; acknowledgment: T. Roberts (Durham University, UK), D. Calzetti (University of Massachusetts) and the LEGUS Team, R. Tully (University of Hawaii) and R. Chandar (University of Toledo)

Telescópio Hubble flagra choque entre galáxias

Galáxias localizadas a 25 milhões de anos-luz da Terra colidiram, o que gerou a criação de estrelas e planetas. Análise ajuda a entender a evolução do universo

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2019 | 00h10

O telescópio Hubble, da agência espacial americana Nasa, flagrou um choque entre galáxias, de acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira, 16, pelo órgão. O encontro envolveu as galáxias NGC 4485 e a NGC 4490, localizadas a 25 milhões de anos-luz da Terra.

O comunicado oficial brincou com a situação: "a galáxia NGC 4485 está mostrando todos os sinais de ter se envolvido em um acidente 'hit and run' (expressão para colisões entre veículos em que o causador do choque não para para prestar assistência). Ao invés de destruição, o encontro está criando uma nova geração de estrelas, e talvez planetas". 

Antes do choque, a galáxia NGC 4485 mostrava sinais de desenvolvimento regular. Agora, apenas um dos lados se manteve intacto, enquanto o outro agora abriga uma profusão de estrelas azuis e nebulosas rosadas. As duas galáxias trocaram de lado há milhões de anos e agora mantêm uma distância de 24 mil anos-luz. 

A Nasa explica que esse tipo de colisão era mais comum há bilhões de anos, quando o universo era menor e as galáxias estavam mais próximas. A imagem, acrescenta a agência, ajuda a entender a complexidade da evolução das galáxias. 

Tudo o que sabemos sobre:
Hubbleastronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.