Telescópios detectam uma das primeiras galáxias do Universo

A1689-zD1 pode ter sido um dos primeiros objetos a iluminar a 'Idade das Trevas' que se seguiu ao Big Bang

Carlos Orsi, do estadao.com.br,

12 de fevereiro de 2008 | 14h49

Com a ajuda de um fenômeno conhecido como lente gravitacional, os telescópios espaciais Hubble e Spitzer fotografaram o que parece ser uma das primeiras e mais brilhantes galáxias da fase final da Idade das Trevas do Universo.   Essa "idade" é o período em que o Universo era dominado por nuvens de frias de hidrogênio, antes que as primeiras estrelas se formassem.   Astrônomos acreditam que galáxias como a recém-descoberta A1689-zD1 puseram fim a essa época, que se estendeu de 400 milhões a cerca de 1 bilhão de anos após o Big Bang.   Detectada pelo Hubble, a galáxia foi estudada em mais detalhe pelo Spitzer, um instrumento voltado para a detecção de radiação infravermelha. Os dados do Spitzer ajudaram a confirmar que se tratava de uma galáxia jovem, passando por uma fase de intensa formação de estrelas, em meio à Idade das Trevas.   "Ficamos surpresos em descobrir uma galáxia tão jovem e brilhante 12,8 bilhões de anos no passado", disse, em nota distribuída pela Nasa, o astrônomo Garth Illingworth, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz. "Esta é a visão mais detalhada já feita de um objeto tão antigo".   Segundo a Nasa, as imagens poderão ajudar a entender os primórdios da formação de galáxias e gerar informação sobre os objetos que contribuíram para dar fim à Idade das Trevas. A1689-zD1 também será um alvo preferencial para o sucessor do Hubble, o Telescópio Espacial James Webb, com lançamento previsto para 2013.   A expansão do Universo roubou energia da luz da galáxia antiga, convertendo-a em raios infravermelhos invisíveis. Para observá-la, astrônomos usaram não só os instrumentos especiais para detectar infravermelho dos telescópios Hubble e Spitzer, mas também a massa do aglomerado de galáxias Abell 1689, a 2,2 bilhões de anos-luz. O aglomerado atuou como uma lente de aumento, concentrando a radiação vinda dos objetos localizados mais além.   A idéia de que a gravidade é capaz de desviar a trajetória de raios de luz foi proposta por Albert Einstein em sua Teoria da Relatividade Geral nas primeiras décadas do século 20, e confirmada diversas vezes desde então.

Tudo o que sabemos sobre:
hubblespitzergaláxiasbig bang

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.