Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Temer inaugura primeira fase do acelerador de partículas Sirius no interior de São Paulo

Considerado 'o Maracanã da Ciência', estrutura custeada em R$ 1,8 bilhão de reais tem a expectativa de atrair pesquisadores internacionais ao País

Carla Bridi, O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2018 | 15h17

CAMPINAS (SP) - O presidente Michel Temer inaugurou nesta quarta-feira, 14, em Campinas, a primeira fase do Projeto Sirius, um  edifício de 68 mil metros quadrados que abrigará o acelerador de partículas mais avançado da América Latina. Além de Temer, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, e o ministro da Educação, Rossieli Soares, participaram da cerimônia solene no Polo II de Alta Tecnologia de Campinas, além do prefeito da cidade, Jonas Donizette. 

A entrega do projeto foi motivo de comemoração para os presentes. Durante a cerimônia, Temer ressaltou que o projeto " é um motivo de justificado orgulho para os brasileiros. É um Brasil que avança a passos largos, entrando em um grupo seletíssimo de países que têm um acelerador de partículas de quarta geração". O único acelerador de quarta geração existente atualmente fica na Suécia. 

Conheça o Projeto Sirius

O presidente ainda enfatizou o planejamento financeiro para a concretização das obras, iniciadas em dezembro de 2014 e que serão completamente concluídas até 2021. "Não há planejamento e continuidade possível sem responsabilidade fiscal. Sem responsabilidade para com o contribuinte, nenhum governo se sustenta. Isso mostra o nosso empenho de manter sempre aberto nosso canal com a comunidade científica". 

A estimativa completa de gastos até a finalização das obras é de R$ 1,8 bilhão de reais, repassados pelo MCTIC, sob a atual gestão de Kassab. Questionado em coletiva sobre a possibilidade da pasta bancar a manutenção da estrutura nos próximos anos, o ministro ressaltou que "o equipamento é como um hospital. Quando é inaugurado, tem a partir de agora sua manutenção, custeio e ampliação", porém sem informar um valor específico que deverá manter o prédio em funcionamento. 

Apesar do edifício já ter sido finalizado, a estimativa para o início do funcionamento do acelerador é para o segundo semestre de 2019, quando a construção do equipamento deve ser encerrada. Kassab afirmou que o valor para a finalização já foi repassado e a partir do dia 19, pesquisadores e cientistas poderão ocupar as salas designadas à pesquisa, com o equipamento funcionando em fase experimental. 

Conversa como futuro ministro

Em relação ao interesse do novo governo, que assumirá a partir do ano que vem o poder Executivo, Kassab mostrou otimismo para a continuidade do projeto, mencionando o encontro que teve com o futuro ministro da Ciência e Tecnologia, o astronauta Marcos Pontes. "A conversa foi excelente. Nos colocamos à disposição, as equipes estão conversando, também estive com o General Ferreira, da Infraestrutura (cotado como futuro ministro do presidente eleito Jair Bolsonaro). Felizmente a transição está acontecendo na mais absoluta normalidade, com bastante eficiência". 

Também durante coletiva, que durou menos de cinco minutos, Temer foi questionado se vetará ou não o reajuste do salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal, com aumento previsto em 16%. "Estou avaliando a questão com cuidado. Tenho ainda 15 dias para definir", disse. O prazo estabelecido para o aval presidencial é 28 de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.