Tempestade solar envia partículas na direção da Terra

Mais uma espetacular erupção na superfície do Sol enviou partículas na direção da Terra nesta quarta-feira e os cientistas acreditam que o fenômeno poderá causar problemas nos sistemas de comunicação de nosso planeta. "Está vindo em nossa direção como um trem desgovernado. Essa é a realidade", disse John Kohl, um cientista do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, em Cambridge, Massachusetts. Cientistas alertaram sobre a possibilidade de ocorrência da tempestade solar na semana passada, depois de uma explosão menor proveniente do Sol ter possibilitado a observação de um fenômeno similar em formação em outro ponto do astro. Segundo Kohl, cientistas qualificaram esta como a maior tempestade solar das últimas três décadas. A explosão gerou uma nuvem de partículas 13 vezes maior que a Terra e a enviou na direção do sistema solar a quase 2 milhões de quilômetros por hora. A tempestade geomagnética resultante da explosão poderia ser classificada entre as mais poderosas da história e teria duração aproximada de 24 horas. Em Tóquio, a agência espacial japonesa anucniou que o satélite de comunicações Kodama apresentou problemas depois de ter sido alcançado pelo campo magnético da tempestade. De acordo com a agência, o satélite foi temporariamente desligado e será reativado apenas quando passar o efeito do fenômeno. A explosão de gás superaquecido e partículas magnetizadas saiu em direção à Terra a partir da coroa solar e é inofensiva para a população. Entretanto, a tempestade poderia desligar, por exemplo, satélites utilizados para orientar as equipes de combate aos incêndios florestais que atingem a Califórnia, na costa oeste dos Estados Unidos. Além dos satélites, sistemas de rádio de alta freqüência também poderão ser afetados. Tempestades solares similares ocorridas nos últimos anos interromperam programações de televisão, sistemas de navegação, controle de poços de petróleo e até mesmo o fluxo de eletricidade pelas linhas de transmissão de energia. Na Internet: Imagens animadas da tempestade solar: soho.nascom.nasa.gov/hotshots Centro Harvard-Smithsonian: cfa-www.harvard.edu/press/pr0322.html www.sec.noaa.gov/

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.