EFE
EFE

Termina simulação russa de voo com astronautas a Marte

A tripulação de seis pessoas, que permeneceu isolada por 105 dias, foi submetida a um exame médico

EFE,

14 de julho de 2009 | 10h09

Os seis participantes da simulação de um voo a Marte saíram nesta quarta-feira, 14, do módulo científico no qual permaneceram isolados do mundo por 105 dias.

 

Há 40 anos, um salto gigante - especial sobre a conquista da Lua

 

Às 14h de Moscou (7h de Brasília), os organizadores do experimento, do Instituto de Problemas Biomédicos (IPBM) da Academia de Ciências da Rússia, abriram a comporta. As informações são da agência Interfax.

 

O cosmonauta russo Serguei Riazanski, de 34 anos, foi o comandante da operação. Pouco depois de sair do módulo, ele disse estar "perfeitamente bem". Outros três russos, um francês e um alemão completaram a tripulação.

 

Após um breve contato com a imprensa, a tripulação se submeteu a um exame médico. Todos deverão comparecer ao IPBM a cada dois dias, para acompanhamento.

 

Iniciada em 31 de março, a experiência foi dividida em três partes: voo da nave pela órbita terrestre, trajeto a Marte e a estadia do aparelho na órbita marciana.

 

O objetivo da simulação era testar a compatibilidade psicológica e a tolerância dos integrantes da tripulação, permitindo aos cientistas estudar diariamente os efeitos do isolamento de longa duração.

 

Esta foi a antessala do projeto chamado "Marte-500", que simulará um voo ao planeta vermelho com outra tripulação e de início previsto para o final deste ano ou início de 2010.

 

Os futuros seis voluntários permanecerão no simulador por 520 dias - o tempo da viagem de ida e volta a Marte - e uma estadia simulada de 30 dias na superfície marciana.

Tudo o que sabemos sobre:
marterússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.