Teste para comprovar clonagem é suspenso

O jornalista freelance que afirmou que supervisionaria os testes de DNA para provar se o primeiro clone humano foi realmente produzido afirmou hoje que estava suspendendo seus esforços, ao menos por enquanto.Os testes foram proibidos pelos pais do bebê, de acordo com a Clonaid, a empresa que, no dia 27 de dezembro, afirmou ter feito a clonagem. A Clonaid foi fundada pela seita religiosa raeliana, a qual acredita que seres espaciais criaram a vida na Terra. A seita reconhece que seriam necessários testes de DNA para dar credibilidade à sua afirmação. Em declaração, Michael Guillen, ex-editor de Ciência da emissora de tevê ABC, afirmou ter reunido especialistas para fazer o trabalho, mas suspendeu os esforços hoje de manhã."A equipe de cientistas não teve acesso à suposta família e, portanto, não pode verificar a afirmação de que um bebê humano foi clonado", afirmou Guillen. "Em outras palavras, ainda é perfeitamente possível que o anúncio da Clonaid seja parte de um complô com a intenção de trazer publicidade para a seita raeliana", declarou o jornalista.

Agencia Estado,

06 de janeiro de 2003 | 18h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.