Tipo H5N1 da gripe aviária é detectado em patos, no Canadá

Dois patos silvestres capturados em Manitoba, no centro do Canadá, estão infectados com o vírus H5N1 da gripe aviária, mas, segundo disseram hoje as autoridades, não oferecem o mesmo perigo que a variação descoberta na Ásia. "Quero destacar que o tipo H5N1 detectado em Manitoba é completamente diferente da atualmente presente na Ásia", declarou Brian Evans, chefe veterinário da Agência Canadense de Inspeção Alimentar (CFIA, na sigla em inglês) em entrevista coletiva realizada hoje. É a primeira vez que o vírus H5N1 foi detectado no Canadá, disseram as autoridades veterinárias. O chefe da CFIA confirmou também que duas aves de Québec tiveram resultado positivo ao vírus H5N3 da gripe aviária. Apesar de o tipo H5N1 ser o mesmo que causou o surto de gripe aviária na Ásia, onde provocou várias mortes, as autoridades canadenses defendem que o tipo descoberto em Manitoba é diferente, menos infeccioso e sem antecedentes em seres humanos.Evans disse que, "de uma perspectiva genética, há diferenças significativas" na estrutura da variante H5N1 asiática, que gerou grandes preocupações no mundo todo por sua potencial periculosidade para a saúde humana e a encontrada no Canadá. A CFIA ressaltou que a variante H5N1 detectada é da família americana do vírus e não da asiática. A variante asiática do H5N1 infectou 130 pessoas na Ásia desde 2003, das quais 67 morreram. Ontem, sexta-feira, as autoridades sanitárias canadenses declararam em quarentena uma fazenda avícola da Colúmbia Britânica onde foi encontrado um pato infectado com o vírus da gripe aviária, embora os veterinários tenham dito que só se sabe que pertence ao tipo H5 e a uma variante ainda desconhecida. Em 31 de outubro as autoridades canadenses haviam anunciado a descoberta do vírus H5 da gripe aviária em várias dezenas de patos silvestres, embora tenham minimizado a importância do descobrimento por considerar normal encontrar este tipo de vírus em aves não domésticas. Em 1.º de novembro, a província de Colúmbia Britânica divulgou que pelo menos 174 patos silvestres estavam infectados também com o vírus H5. Em ambas as ocasiões, os veterinários disseram que era necessário realizar mais teste para determinar a variante exata do vírus. Evans explicou que o fato de encontrar variantes só "da gripe aviária pouco infecciosa significa que estes vírus só causariam doenças leves, se provocassem alguma doença, caso infectassem aves domésticas". A fazenda em quarentena fica próxima à localidade de Abbotsford, o epicentro de um foco de gripe aviária em 2004 que levou ao sacrifício de milhões de aves domésticas para evitar a extensão da doença. Naquela época, a doença foi causada pela variante H7N3 do vírus da gripe aviária.

Agencia Estado,

19 de novembro de 2005 | 21h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.