Titã, uma das luas de Saturno, pode ter vulcões ativos

Titã é um dos poucos corpos do Sistema Solar a contar com uma atmosfera considerável

Associated Press,

16 de dezembro de 2008 | 17h11

Observações feitas a partir da sonda Cassini sugerem que a maior das luas de saturno, Titã, pode ter vulcões de gelo ainda ativos, ou que estiveram ativos até há bem pouco tempo.   Lua de Saturno tem atividade tectônica similar à Terra  Missão Cassini: galeria de imagens   Imagens de radar indicam fluxos na superfície de Titã que podem ser resultado de vulcões expelindo líquido gelado do interior, disseram cientistas da missão.   Sobrevôos anteriores de Titã haviam sugerido a existência de vulcões de gelo, e cientistas acreditavam que eles entrariam em erupção liberando amônia, metano e água, em vez de lava.   Os dados mais recentes "não apenas indicam que o criovulcanismo ocorreu em Titã no passado geológico recente, mas pode estar ocorrendo em Titã hoje", disse o cientista Jonathan Lunine, da equipe responsável pela Cassini.   Titã é um dos poucos corpos do Sistema Solar a contar com uma atmosfera considerável. Cientistas acreditam que o gás metano se quebra na atmosfera e forma nuvens que chovem hidrocarbonetos. A fonte do metano segue sendo um mistério. Cientistas que defendem a teoria vulcânica dizem que erupções de metano vindas do interior de Titã podem explicar a atmosfera carregada da lua.   Dados do espectrômetro da Cassini encontraram manchas brilhantes em duas regiões de Titã. Em uma delas, cientistas encontraram evidências de gelo de amônia que pode ter vindo do interior do planeta. Os resultados foram apresentados na reunião da União Geofísica dos Estados Unidos, que acontece em San Francisco, mas as evidências não convenceram a todos. "Algo está ocorrendo. Exatamente o quê, não focou claro", disse o cientista Jeff Moore, da Nasa.

Tudo o que sabemos sobre:
titãcassininasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.