Trabalho sobre funcionamento do ribossomo leva Nobel de Química

Dois norte-americanos e um israelense dividiram o Prêmio Nobel de Química por mostrarem como os ribossomos funcionam, trabalho que tem implicação importante para os antibióticos, informou o comitê que concede o prêmio na quarta-feira.

REUTERS

07 Outubro 2009 | 07h28

O prêmio de 10 milhões de coroas suecas (1,4 milhão de dólares) foi dado aos norte-americanos Venkatraman Ramakrishnan e Thomas Steitz e para a israelense Ada Yonath por mostrarem como os ribossomos, que produzem proteína, funcionam no nível atômico.

"Como os ribossomos são cruciais para a vida, eles também são um grande alvo para os novos antibióticos", disse o Comitê do Nobel para a Química da Real Academia Sueca de Ciências em comunicado.

Esse é o terceiro Prêmio Nobel entregue neste ano após as premiações nas áreas de Medicina, na segunda-feira, e Física, na terça-feira.

O prêmio foi criado por vontade do magnata da dinamite Alfred Nobel e é entregue desde 1901.

Mais conteúdo sobre:
CIENCIA NOBEL QUIMICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.