Tratamento hormonal causa câncer em britânicas

Estudo de cientistas britânicos revela que o tratamento hormonal substitutivo (THS) mais usado pelas mulheres na menopausa do Reino Unido aumenta o risco de câncer de útero. O relatório, publicado na revista médica The Lancet, afirma que o uso do remédio Livial (tibolona) pode até duplicar o risco.Seis em cada mil mulheres tratadas com Livial, que atua como estrogênio e progesterona, foram diagnosticadas com câncer de útero em menos de cinco anos, segundo os pesquisadores da Universidade de Oxford e do centro de Estudos de Câncer no Reino Unido.Até agora, os cientistas pensavam que o Livial tinha efeitos secundáriosmenores do que os outros remédios utilizados no THS. O medicamento era apresentado pelos médicos como sendo o de menor risco de câncer.Para este estudo, observou-se a evolução desde 1990 de mais de 1 milhão de britânicas que tomam Livial. Cerca de 1.300 mulheres que participaram do estudo desenvolveram câncer de útero e mais de 10.000 tiveram câncer de mama, o mais comum entre as mulheres.O Livial é o remédio mais popular entre as britânicas entre 50 e 64 anos. A fabricante do remédio, a holandesa Organon, entrou em contato com a Agência Reguladora de Produtos Médicos e Cuidado pessoal do Reino Unido.A Organon informou que está elaborando outro estudo internacional com mais de 3.000 mulheres sobre os efeitos de seu fármaco no útero, mas seusresultados não serão divulgados até o fim deste ano.

Agencia Estado,

29 de abril de 2005 | 09h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.