<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Tribunal informal condena transgênicos no RS

O Tribunal Internacional Popular sobre Transgênicos, um julgamento informal montado por 40 entidades sindicais, comunitárias e ambientalistas culpou a Monsanto e a Federação da Agricultura no Rio Grande do Sul (Farsul) por terem disseminado ilegalmente os transgênicos no País, com a conivência de alguns órgãos públicos. Apesar de convidadas, as rés não enviaram representantes ao evento, em Porto Alegre. Alegaram que o resultado já estava decidido antes do início das discussões.O julgamento reuniu cerca de duas mil pessoas, na quarta-feira, e durou todo o dia. A conclusão será encaminhada à Presidência da República, ao Ministério Público e aos responsáveis pelo gerenciamento ambiental no País.Soja puraPeritos e testemunhas falaram sobre os transgênicos e seus resultados. Num vídeo previamente gravado, o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), disse que "permitir a expansão da dessa cultura significa submeter nossa agricultura aos interesses do agronegócio americano e abandonar a soja pura brasileira, que tem aceitação universal". Além da mensagem, Requião enviou mil camisetas aos participantes do evento com a mensagem "Soja do Paraná Soja Pura".Diante da falta de representantes das acusadas, os advogados Edmilson Todeschini e Marcos Carpes assumiram a defesa e usaram textos e declarações da Farsul e da Monsanto já publicados na imprensa. Os argumentos referem-se ao progresso da ciência, à produtividade e à falta de comprovação dos malefícios dos transgênicos.O advogado de acusação, Aurélio Virgílio Veiga Rios, disse que o Rio Grande do Sul pagará caro por ter se tornado um laboratório e porque colherá um produto barato e de baixa qualidade. Também classificou de maniqueísmo científico acreditar que a ciência só acerta quando está ao lado das grandes corporações.Mais pesquisasAlém de condenar as rés, o tribunal concluiu que não há estudos suficientes sobre a introdução dos transgênicos no Brasil e sugere pesquisas independentes para atestar a segurança dos produtos. Também pede ao Congresso Nacional que ouça a sociedade para formular uma nova lei de biossegurança.Em nota distribuída na noite de quarta-feira, a Farsul anunciou que vai solicitar o impedimento do juiz do Tribunal Regional do Trabalho José Felipe Ledur nas questões que envolvam sindicatos rurais, produtores e empresas ligadas ao agronegócio por ele presidir o tribunal popular dos transgênicos. O advogado da entidade, Nestor Hein, diz que Ledur está sob suspeição por já ter se posicionado de maneira contrária às causas defendidas por ruralistas.

Agencia Estado,

12 de março de 2004 | 09h52

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.