Tripulantes da Discovery detectam 25 deformações na nave

Os tripulantes da nave americana Discovery detectaram neste sábado 25 deformações nas placas de proteção térmica da nave durante sua primeira caminhada espacial de inspeção, informaram fontes da Nasa. "Normalmente, entre o lançamento da nave e a volta costumam acontecer cerca de 145 deformações", informou um representante da Nasa no Centro de Controle de Vôos Espaciais (CCVE) da Rússia, situado nos arredores de Moscou. Considerando estes dados, acrescentou, "é possível dizer que o número de deformações na estrutura da nave é bastante pequeno, e não representam nenhum perigo".O representante da Nasa disse que os especialistas consideram que a causa destes amassados está no revestimento externo do tanque de combustível da Discovery. Dois astronautas da nave, o japonês Soichi Noguchi e o americano Steve Robinson, observaram por mais de seis horas o estado da parte superior da estrutura externa da nave e seu revestimento térmico. Além disso, os astronautas executaram uma simulação de reparação das placas de proteção térmica, após algumas delas terem se soltado durante o lançamento da nave, na terça-feira passada.Para essa tarefa, os astronautas usaram um braço articulado de 30 metros em cuja ponta há uma câmera tridimensional que transmite à Terra imagens das placas de proteção térmica da nave, uma das principais "preocupações" da Nasa. Os dois astronautas também restabeleceram a alimentação de um dos giroscópios estragados, vitais para a orientação e estabilidade da ISS. As imagens obtidas na terça-feira não mostram que as duas placas que se desprenderam no lançamento tenham atingido a estrutura da nave, mas a Nasa quer evitar "surpresas" de última hora, que poderiam impedir a volta da nave à Terra.Especialistas da Nasa detectaram na véspera que "o isolante sobressai em várias partes da nave", mas descartaram que seja um "problema grave". Em todo caso, a Nasa adiantou que cancelará a volta da Discovery caso exista a possibilidade de se repetir a catástrofe da nave Columbia em 2003, que paralisou o programa de naves por dois anos e meio. Neste caso, os sete tripulantes da nave teriam que ficar na ISS até serem resgatados pela Atlantis, nave que tem lançamento previsto para o próximo mês de setembro. Caso não haja contratempos, a volta da Discovery à Terra está prevista para o dia 7 de agosto.

Agencia Estado,

30 de julho de 2005 | 14h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.